26 agosto 2014

Cremes manipulados ou industrializados: qual escolher? Dra. Ana Paula Moreira

Sempre quando me fazem essa pergunta no consultório a resposta é aquela que ninguém gosta de ouvir: depende. Isso mesmo, falo como dermatologista e usuária dos produtos de beleza manipulados por farmácias especializadas e industrializados, aqueles que já vêm pronto da fábrica. O que uso? Os dois, dependendo da função, da marca, da disponibilidade e principalmente, das particularidades de cada pele.

Produtos manipulados - Os cremes manipulados são feitos sob medida para cada pessoa. Eles devem ser, obrigatoriamente, especificado pelo dermatologista. Isso significa que o produto indicado para sua irmã, mãe ou vizinha não é indicado para você, visto que cada pele tem necessidades únicas. Os manipulados são indicados para pacientes que precisam de determinados componentes a mais ou específicos na formulação para o tratamento.



Eles são recomendados para tratar duas ou mais ocorrências, pois é possível adicionar componentes que tratem por exemplo, de manchas e envelhecimento da pele em um único medicamento. São mais baratos que os industrializados, pois são feitos na medida certa. Além disso, o dermatologista consegue adequar uma fórmula tanto ao tipo de pele, como ao estilo de vida.

Porém, por serem produzidos com componentes diversos, podem ocorrer alergias na pele. Por isso, há a necessidade de haver orientações e prescrições do dermatologista. Um outro ponto em desfavor é ter a validade menor em relação aos produtos industrializados.

Produtos industrializados - Os cremes industrializados atendem às especificidades exatas de um tratamento, isso pode excluir a possibilidade do médico unir mais ativos para outros tratamentos. Como vantagens, têm prazo de validade maior e por serem produzidos em laboratório, é possível conhecer os efeitos colaterais que podem aparecer.

No entanto, devido ao investimento no desenvolvimento de um produto, prioriza ativos consagrados e que possam sobreviver no mercado por no mínimo dois ou três anos.

Uma questão importante: as farmácias de manipulação devem seguir as normas de Boas Práticas de Manipulação determinadas pelo Ministério da Saúde.

*Artigo publicado no caderno JD para Elas no domingo (24/08)
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário